Desenvolvimento com tecnologia Microsoft e Interoperabilidade
Twitter: @vbs_br
Facebook: vbatistadesouza
LinkedIn: viniciusbatista

Mudanças no Windows Azure

Recentemente tivemos grandes mudanças no Windows Azure, entre elas posso destacar:

1. Disponibilização em produção do Web Sites e do Mobile Services.

2. Novos serviços incluídos como:

1. Auto Scale, alertas e monitoramento

2. Novas imagens disponíveis para VM’s com Sql Server 2014 e Windows Server 2012 R2, ambos Preview

3. Atualização do serviço do WebSites e Mobile Services.

 

3. Mudança na forma de cobrança, agora por minuto!

4. Custo ZERO para máquinas virtuais (VM) paradas

5. Windows Azure Web Sites agora suporta Secure Sockets Layer (SSL) para domínios personalizados para instâncias reservadas.

6. Mudança na forma de criar a conta de teste.

 

Vou começar falando sobre o novos serviço que entraram em produção.

Windows Azure Web Sites

O Windows Azure Web Sites é a maneira mais rápida para ter uma aplicação Web, com elasticidade e gerenciamento através do portal, e linha de comando utilizando o SDK do Azure disponível em Windows, Linux e Mac.

O serviço é aberto e flexível permitindo o uso de tecnologias como ASP.NET, PHP, Node.JS e Python, além dos projetos open source mais conhecidos como o Drupal, WordPress, NopeCommerce e outros.

O serviço já estava disponível como preview a algum tempo, o meu blog, por exemplo está hospedado no Windows Azure Web Sites desde o primeiro dia da disponibilização do serviço, um dos diferenciais em utilizar os serviços do Azure é que sempre temos novos serviços incluídos, recentemente tivemos a inclusão do suporte ao GIT e do TFS como serviço para fazer o desenvolvimento contínuo, com o serviço ainda em preview.

Com o lançamento do serviço, tivemos o acréscimo: SSL (https); Escala de sites independentes; Dump de memória para fins de debug; suporte a processadores 64 bits. Isso para o serviço Standard (padrão) que era conhecido anteriormente como Reserved (reservado).

Veja mais sobre o serviço clicando aqui.

Windows Azure Mobile Services

Gosto de todos os serviços disponíveis no Azure, mas se fosse escolher um como sendo o meu preferido seria o Mobile Services com certeza.

Estamos vivendo um novo momento na informática, com o surgimento de diversos devices, desenvolvimento de aplicativos e tudo isso aliado a forte competitividade onde sai na frente quem consegue ter o serviço primeiro. Pensando em nisso, o time de engenharia do Windows Azure fez o lançamento do Mobile Services que agora também está em produção. Mas o que é esse serviço e o que o torna tão especial?

O Mobile Services possibilita a criação de um backend para sua aplicação mobile, disponível para todas as plataformas de dispositivos que conhecemos hoje (Windows Store Apps, Windows Phone, iOS, Android e HTML5), tudo isso graças a utilização de API REST, o que resumidamente significa, se tiver acesso a internet você consegue utilizar esse serviço.

O Serviço estava em preview e agora que está em produção, assim como o Web Sites um novo serviço foi incluído o “API”, isso mesmo API. Para aqueles que ainda não teve experiência com o Mobile Services, ao criar uma tabela no banco de dados temos um endpoint para fazer o CRUD já pronto para essa tabela e agora é possível incluir lógica de negócio em um serviço separado onde conseguimos através do próprio site fazer edição do código fonte em JavaScript para cada um dos Verbs disponíveis no HTTP.

Veja mais informações sobre o serviço, clicando aqui.

Fizemos uma demos muito interessante utilizado o Mobile Services em uma App para o Windows 8 e Windows Phone, o código está disponível no CodePlex nessa Url https://catalogoportavel.codeplex.com/.

 

Mudança de cobrança.

Desde o dia 03 de junho o modelo de cobrança do Windows Azure foi alterado de Hora para Minuto, mas o que isso quer dizer e qual o impacto sobre o custo.

Em um pico de demanda detectado em seu serviço, você vai fazer um aumento na demanda de VM para que o serviço continue a processar as requisições. No modelo anterior baseado em horas de consumo, se o pico de utilização durasse 10 minutos valeria a pena deixar a máquina em execução por mais tempo já que seria cobrado pela hora cheia. Esse cenário levou a construção de scripts de automação complexos para tirar o máximo possível dos recursos, pagando menos possível.

Agora com o novo modelo por minuto, além da simplificação dos scripts de gerenciamento (menos horas de testes e escrita), você vai pagar somente pela quantidade de minutos utilizado. Pegando o exemplo anterior, sempre que detectado uma queda no pico de demanda é melhor liberar os recursos locados e com isso diminuir os custos!

 

Custo ZERO para as máquinas virtuais paradas

Outra grande novidade que vai poupar tempo e dinheiro, agora podemos para uma máquina virtual que esta em execução e não pagar pelo serviço de computação,  antes era necessário apagar a VM.

 SLL em Web Site

Ainda nas novas implementações temos o SSL – Secure Sockets Layer (SSL) para domínios personalizados. A utilização de criptografia SSL é o método mais comum de implementar segurança no envio de dados pela internet, e agora é possível configurar seus Web Sites no Windows Azure fazendo upload de seus certificados. O serviço suporta IP Address Based SSL Bindings e também SNI Based SSL Bindings.

Mudança no formato para criar a conta de teste (Free trial)

Agora inda mais simples, ao invés das 750 horas computacionais, você vai gerenciar USD 200,00 por um período de 30 dias para utilizar da maneira que preferir. O portal também foi atualizado para fornecer alertas de utilização, sobre os dias e valor remanescentes.

 

Veja outras novidades no blog do Scott Guthrie http://weblogs.asp.net/scottgu/archive/2013/06/03/windows-azure-announcing-major-improvements-for-dev-test-in-the-cloud.aspx

Abraço,

Vinícius.

 

2 comments

  1. João /

    Não estou conseguindo criar conta no Windows Azure, todos os dados de cobrança que coloco dá que são inválidos e esta correto. vc sabe alguma outra forma de criar conta la?
    muito obrigado

    • Oi João, conseguiu resolver?
      Recebo tanto spam por aqui que acabou passando batido.
      Mande mensagem pelo meu Twitter @vbs_br

Leave a Reply to Vinícius Souza Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>